Engenharia da Informação

Engenharia da Informação é uma área do conhecimento constituída pela convergência de áreas tradicionais como Informação, Comunicação, Processamento Multimídia e Computação, devidamente contextualizadas na sociedade em que vivemos. A motivação principal decorre da utilização e importância do computador e da internet em nossas vidas, a demanda cada vez maior por informação com mobilidade, o anseio por novas aplicações multimídia e a busca por novos dispositivos e serviços a preços acessíveis, facilitando a inclusão digital. 

A área engloba as diversas vertentes que no seu conjunto podem ser caracterizadas como as tecnologias da informação, num contexto multidisciplinar associado ao caráter social da informação. Além disso, a Engenharia da Informação está em profunda sintonia com os avanços do século XXI, adequada para fornecer respostas possíveis a uma sociedade cuja dinâmica é altamente dependente da disponibilidade de informação na hora em que ela é mais necessária: a chamada Sociedade da Informação. Algumas idéias-força são incorporadas da engenharia do século XX, especialmente Telecomunicações e Computação, mas voltadas a uma sociedade em que a informação se torna um elemento essencial, moldando novos comportamentos sociais e produtivos.

Os novos clientes da informação exigem acessos imersivos a ambientes de comunicações onde possam buscar informações, oportunidades de negócios, educação ou trabalho, intercâmbios culturais ou sociais, etc. As formas de interação e acesso à informação vão além da navegação tradicional, fornecendo possibilidades de ambientes baseados em realidade virtual e mundos inteiramente digitais.

A Engenharia da Informação não é apenas uma nova área do conhecimento, no sentido de ser associada a novos conteúdos. Mais que isso, ela resulta de um novo recorte das Engenharias, que as classifica agora de acordo com as necessidades de organização da sociedade e da produção de valor, e não mais de acordo com a natureza física (p.ex. elétrica, mecânica, química) de fenômenos a serem instrumentalizados em qualquer contexto produtivo. Assim é que no novo mapa das Engenharias, elas são definidas pelas grandezas básicas que balizam o crescimento econômico (informação, energia, ambiente) e pelos sistemas que lhe dão sustentação social (saúde e educação) e logística. Estando referidas aos universos de aplicação no ambiente social, elas mobilizam necessariamente conhecimentos de diversas disciplinas científicas, integradas por perspectiva interdisciplinar no campo científico. Engenharia da Informação é um curso diferente das mais tradicionais Engenharias de Telecomunicações e da Computação (embora com grande intersecção de assuntos).

O nome Engenharia da Informação vem sendo utilizado nos últimos por outras universidades, para descrever cursos que apresentam grandes semelhanças com o curso que está sendo proposto pela UFABC, como:

· Universidade de Hong-Kong, China (http://www.ie.cuhk.edu.hk)

· Universidade de Sydney, Austrália (http://www.ee.usyd.edu.au)

· Universidade de Cambridge, Inglaterra (http://www.eng.cam.ac.uk/research/ div-f/index.html)

Inserção Regional da Engenharia da Informação

Devido ao seu caráter intensamente tecnológico, o curso de Engenharia da Informação apresenta um alto grau de inserção, potencialização e complementaridade com a vocação industrial da região do ABC. Para se manterem competitivas, as empresas precisam implantar uma cultura de constante modernização dos seus processos administrativos, de produção e de negócios.

O domínio das tecnologias relacionadas à informação exerce um papel preponderante nessa contínua reinvenção das empresas, pois empresas dos vários setores produtivos estão se tornando progressivamente mais dependentes de comunicação ágil e informação on-line. Os profissionais formados em Engenharia da Informação e também os seus professores poderão prestar serviços de consultoria, assim como trabalhar em projetos de pesquisa em cooperação com empresas do ABC para agregar valor aos produtos e serviços produzidos na região. Por outro lado, alunos formados em Engenharia da Informação com alto nível de especialização e com espírito empreendedor, com o devido apoio governamental, podem promover a criação de uma nova geração de empresas ligadas à área de alta tecnologia no ABC paulista.